Os que me seguem

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Uma carta de amor



Niterói, 12 de junho de 2008

Sabe amor,

Temos 31 anos e alguns meses de namoro, nos conhecemos no dia 6 de agosto de 1976 na porta da Fafita em Itaperuna.

O tempo passou e só amadureceu o nosso amor. Você continua como nos conhecemos: amável, bem humorado, carinhoso e muito amoroso.

Os anos passaram, rugas apareceram em nossas faces, porém os nossos sentimentos estão cada vez mais fortes, a ponto de não saber o que fazer de minha vida se um dia eu te perder.

Deus tem sido muito bom. Preserva nossa saúde, abençoa este nosso amor e intercede sempre em nossas vidas.

Quando nos casamos eu te amava muito, mas hoje o meu amor é maior ainda. Como se isso fosse possível!... Ou como você diz “Te amo mais que ontem e menos do que amanhã”.

Hoje nesta nossa comemoração de mais um dia dos namorados quero te dizer o quanto sou grata por ter te conhecido e como estou maravilhada com este nosso amor.

Se tive alguma dúvida do seu amor por mim elas se desfizeram no tempo e agora tenho plena certeza de que nascemos um para outro.

Sabe esse negócio de almas gêmeas, sei lá o que quer que seja? Passei a acreditar. Existem pessoas que nasceram para fazer as outras felizes, e eu nasci para você e você para mim.

Se tivesse que começar minha vida toda novamente, o escolhido seria você. E viveria todos os mesmos momentos vividos até agora, sem tirar nada, até as grandes tempestades.

Você me dá o prazer de viver, é o meu porto seguro, é o meu amor querido e é a razão do meu viver.

Tenho muito orgulho desse nosso amor.

Neste momento quero agradecer a Deus por ter colocado você no meu caminho e na hora das escolhas da vida termos nos escolhido.

Quero que você saiba que em mim só existe amor, amor puro e sincero. Quero você até o dia em que Deus assim me permitir.

Meu amor, obrigado por existir em minha vida.

Obrigado por saber conduzir esta nossa vida de forma tão bela.

Obrigada pelos filhos, pelo amor, pelo lar.

Te amo

Um comentário:

  1. Sua cara bonita, sua paixão. Sua força de mãe, sua doação incondicional aos filhos, seu amor por mim e tanto apoio que me dá. E tanto aperto que passou (e ainda passa) comigo. Seu jeito doce de dormir, sua risada franca e gostosa e seu gosto pela vida. A resistência contra a dor e a doença, a disposição de ajudar a quem precisa. Os choros que choramos juntos, tantos amigos e parentes que se foram. O seu respeito aos que vieram antes e nos fizeram o que somos. O prazer em dar uma festa, a co-autoria com todos os grandes compositores. Tantos motivos para te amar, e eu ainda não sei exatamente porque te amo. Só sei que é muito.

    Nelson

    ResponderExcluir

Amigos,
Comentem se tiverem vontade, eu responderei dentro do possível